domingo, 22 de janeiro de 2012

Bad times

Há uns meses queixei-me do meu manager...não gostava das "bocas" e das piadas, sentia-me humilhada...até perceber que ele é mesmo assim, e é simplesmente a forma de ele se socializar - com brincadeiras. Claro que depois de ter ido para a mesa dele quando fui promovida comecei a conhecer-lhe melhor as manias e piadas e aprendi a lidar com isso sem stressar. Basicamente, conseguimos passar o dia a rir das piadas um do outro. Bom, muito bom, sem dúvida.

Esse foi o lado positivo da mudança...além do salário, e dos colegas que encontrei nessa mesa. Somos um grupo pequeno, numa mesa redonda, e por isso temos uma partilha diferente durante o dia de trabalho. Gosto muito.

O lado negativo foi, como é lógico e esperado, algumas invejas e burburinhos, mas aos quais não dei muita importância e que, com o tempo, foram sendo apagados, à medida que as pessoas se foram apercebendo que não só eu não tinha tirado o lugar a ninguém, como a minha atitude também não iria mudar em consequência da nova posição.

Mas houve um lado MUITO mais NEGATIVO. E é isso que me tem feito chorar há mais de uma semana. Ando de rastos... sem forças e com medo. cansada, incomodada, nervosa, deprimida! Pouco tempo depois de ter ido para aquela mesa, houve um colega, português, e uma das pessoas que eu mais respeitava lá dentro, a iniciar rumores falsos sobre mim: que andava a espiar o trabalho dos colegas, que andava com o rei na barriga, que andava lá para «lixar» os outros. O gajo enviou um mail, na sequência disso, para vários colegas, incluindo eu, cheio de lições de moral. Como era mais do que evidente que as palavras eram para mim, dirigi-me a ele pessoalmente (embora não tivesse que me justificar pois nenhuma das acusações tinha qualquer fundamento de verdade) e perguntei a que propósito vinham essas acusações. Fugiu às perguntas e à conversa, dizendo que "está tudo bem, já passou". E por mais que eu insistisse que para mim não tinha passado pois se há coisa que me revolta é ser acusada injustamente, o gajo esquivou-se. O ambiente ficou um pouco azedo, mas continuei na minha rotina. No entanto as atitudes estúpidas da parte dele continuavam. Eu tratava-o, no entanto, como qualquer outro colega de trabalho. Nunca lhe faltei ao respeito nem dei nenhuma resposta mais amarga.
E a distância instalou-se. por mim tudo bem, na verdade assim nem me chateava a tentar apagar o fogo de pessoas que se incendeiam a si mesmas -pensava eu!!
Esta semana, porque não lhe desejei pessoalmente os "sentimentos" pelo falecimento do pai (desejei no cartão da empresa, mas pessoalmene não consegui depois de estar continuamente a levar respostas tortas e atitudes idiotas da pessoa o meu cinismo não chegou a tanto), explodiu...e quando digo explodiu, basicamente, resolveu por começar a gritar da mesa dele, insultar-me, gozar comigo. Insultos quando eu passo para ir à cozinha, ou ao WC, ou lá fora fazer uma pausa. Insultos que incluem: «és um monte de m****, não vales nada, és uma ordinária, és uma cobra». Incomodou-me e muito, mas uma pessoa com quase 50 anos que tem uma atitude assim não merece que eu lhe dirija a palavra. No primeiro dia fiquei mal. No segundo dia resolvi desprezar e sorrir para o resto das pessoas. No terceiro dia rebentei em lágrimas (sem ele ver, claro). No quarto dia resolvi outra vez combater o mal com sorrisos e desprezo, mas nessa noite não aguentei mais e fui-me abaixo quando cheguei a casa. Já andava mal, nesse dia cheguei ao meu limite, porque além dos insultos, começaram também ameaças físicas e ameaças de que iria fazer-me ser despedida. Tendo em conta que ainda estou à experiência, esse factor mexe muito comigo: preciso muito do meu emprego, mas também gosto muito do meu trabalho. E ao fim de 4 noites sem dormir em condições, na sexta feira resolvi  - depois de um dilema interior - ir falar com o meu manager e contar tudo. Viver com medo não. O Manager foi impecável...mas o medo continua cá. Ainda falta quase um mês para estar segura na empresa...e hoje vejo que há pessoas capazes de tudo...:(

Aguardam-se novos episódios...:(..Eu vou continuar a engolir em seco. A fingir que a pessoa nao existe, tal como tenho feito até agora...mas que sinceramente parece não dar resultado e só enfurecer mais o touro...

5 comentários:

mari disse...

bolas, que azar :(

espero sinceramente que essa criatura te deixe em paz ...

sorte princesa**

Naná disse...

Heidi, só posso dizer-te para teres um pouco mais de força para lidares com essa figura, que parece apostada em destruir-te!
Pessoas com essa personalidade e carácter(ou falta de ambos...) conseguem arruinar a vida a uma pessoa, se não soubermos lidar com eles!
Não deixes que esse tipo te prejudique! Não lhe dês esse prazer!
Muita força!!

Sorriso disse...

É óbvio que essa coisa (não se pode chamar pessoa) quer deitar-te abaixo, destruir a imagem que tens perante os outros e deitar por água abaixo o teu profissionalismo. Infelizmente há mesmo pessoas capazes de tudo, mas desejo que tenhas muita força e que consigas resolver com a ajuda de pessoas bem mais justas!

Paula OriMakeup disse...

fizeste muito bem em ter ido falar com o teu manager. achas que ele vai tomar alguma atitude? porque esse comportamento para com uma colega no local de trabalho é inadmissivel, mesmo que ele tivesse razão de queixa sobre ti!

beijinho. força, vai correr tudo bem ***

Panda disse...

só agora li este teu relato e estou chocada, realmente há gente para tudo. o gajo tem algum problema mental, só pode. Fizeste tudo muito bem em queixar-te dele nem devia ster esperado tanto. Mas já reparei que há desenvolvimentos por isso vou ler os post´s seguintes.